AGORA É O BOTAFOGO: Maia quer punição para Hans River por mentir na CPMI

COMPARTILHE!

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cobrou punição ao ex-funcionário da empresa de marketing digital Yacows, Hans River do Nascimento.

Ele foi convocado para falar no Congresso na CPMI das ‘fake news’ pois foi a fonte de reportagens que apontavam a Yacows como uma das empresas a fazer disparos de mensagens de campanha em massa, utilizando robôs e linhas telefônicas falsas.

Na CPMI, Hans River negou ter repassado informações à repórter durante a eleição de 2018 e afirmou que a jornalista teria se insinuado a ele para conseguir informações para a matéria. A fala de River foi desmentida horas depois pelo jornal, que exibiu documentos enviados por River a Patrícia e ainda trechos das trocas de mensagens entre os dois.

Confira o tuíte do presidente da Câmara:

O deputado Rui Falcão (PT-SP) classificou de mentirosas as declarações do depoente que afirmou ter feito a campanha do deputado petista. “Perguntei a ele se conhece bairros da periferia onde fiz campanha, e ele respondeu: ‘conheço e fiz campanha para você’. Eu imaginei que ele tivesse feito campanha para mim, votando. Eu não fiz campanha com a Yacows. Essa é uma acusação mentirosa”, disse Rui Falcão.

Hans chegou a dizer na CPMI que fez campanha para Lula em 2018, mas o ex-presidente, como todos sabem, não foi candidato.

A relatora da CPMI das Fake News, deputada Lidice da Matta (PSB-BA), defendeu que a comissão tome providências na próxima reunião deliberativa, marcada para a semana que vem. Ela já anunciou, entretanto, que deve representar pessoalmente junto ao Ministério Público, como fizeram as bancadas do PT na Câmara e no Senado.

Parlamentares da legenda ingressaram com notícia crime junto à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Hans River do Rio Nascimento por falso testemunho no depoimento prestado à comissão na última terça-feira (11).

Com informações da Câmara.

COMPARTILHE!