Anuncio da Tampax que diz ‘diversidade de todas as pessoas que menstruam’ causa revolta até em feministas: “Biologia não é intolerância!”

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

A empresa de higiene feminina Tampax decidiu no domingo (25) expressar “apoio” às mulheres biológicas que querem viver como homens, postando nas redes sociais que o sexo biológico não determina quem tem ciclos menstruais.

“Fato: nem todas as mulheres menstruam. Também é um fato: nem todas as pessoas com menstruação são mulheres. Vamos comemorar a diversidade de todas as pessoas que menstruam. #mythbusting [destruindo mitos]#periodtruths [verdadessobremenstruação] #transisbeautiful [corpos trans são lindos]” , escreveu o Tampax em sua conta no Twitter.

Segundo o Daily Mail UK, embora uma porcentagem muito pequena de pessoas – assim como a porcentagem de pessoas que adotam um estilo de vida transexual – expresse apoio, houve uma enorme reação no mundo digital contra o anúncio da empresa de higiene feminina, até mesmo da ala feminista.

Continua depois da publicidade

Entre os que se expressaram suas opiniões no mundo online está Laurence Fox, fundador do novo partido político britânico ‘Reclaim‘, que escreveu: ‘Estou genuinamente interessado em saber quem no Tampax achou que seria uma boa ideia apostar toda a sua base de clientes (Mulheres Biológicas) contra este vômito virtual anti-fato e anti-mulher’.

Algumas feministas online acusaram a proprietária do Tampax, Procter & Gamble, de “apagar” as mulheres com sua mensagem.

A escritora britânica e feminista, Susan Dalgety, que apoiou a colega JK Rowling, em meio a uma briga sobre transexuais no início deste ano, disse: “É um fato biológico que você precisa de um útero para menstruar, e que apenas as mulheres têm um. Os machos não”.

“Não tenho ideia de por que a Proctor & Gamble achou que era uma boa tática de marketing alienar sua única base de clientes dessa forma”, disse Kellie-Jay Keen-Minshull, fundadora do grupo de campanha ‘Standing For Women’ [Defendendo a Mulher], segundo o UK Daily Mail. “É bastante assustador quando você tenta incluir todas as identidades na feminilidade, acaba excluindo as mulheres.”

“Eu vou garantir que as MULHERES que conheço, e todas as MULHERES com quem eu me encontrar, NUNCA apoiem esta marca, nunca! Biologia não é intolerância!”, escreveu Esteyana no Twitter.

“Cada pessoa que teve um ciclo [menstrual] é cientificamente e geneticamente uma mulher. Isso não é ofensivo, não é para ser ofensivo, é apenas um fato científico. Os fatos não podem ser ofensivos, mas VOCÊ pode se sentir ofendido por eles quando não seguem sua narrativa”, escreveu Curt Schilling.

“Se seus órgãos internos, desde o nascimento, se assemelham ao diagrama à esquerda [ver imagem em seu Twitter], você não precisa de absorventes internos, se for semelhante ao diagrama à direita [ver imagem em seu Twitter], você precisa…. espero que ajude”, escreveu Helen

– Helen (@ Hells4Heroes) 24 de outubro de 2020

“Se uma não-mulher [trans] está tendo um período [sangramento menstrual], ele deve ir ao hospital porque NÃO É UM PERÍODO!!!”, escreveu Jonathan Gilliam.

Procter & Gamble reagiu em um comunicado.

‘Tampax foi fundado por uma empresária há mais de 80 anos. Apoiamos e protegemos as mulheres desde então e isso nunca vai mudar”, disse o comunicado.

“Ao mesmo tempo, também estamos comprometidos com a diversidade e inclusão, e estamos em uma jornada contínua para entender as necessidades de todos aqueles que usam nossos produtos”, disse o comunicado. “Infelizmente, os períodos [menstruais] são um assunto tabu para muitos – independentemente da orientação sexual ou identidade sexual – e é extremamente importante que todos se sintam pertencentes e que possam ser eles mesmos ao ter essas conversas, comprar ou usar produtos de época”.

“Juntos, podemos ajudar a criar um mundo livre de preconceitos”, conclui o comunicado.

Conexão Política

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

PRA ACABAR COM A ROUBALHEIRA! Decreto de Bolsonaro autoriza privatização em postos de saúde

SUPREMA VERGONHA! STF abre licitação de até R$ 4 milhões para contratar garçons e copeiros para 11 ministros