Argentinos já se arrependem de ter votado na esquerda; vem aí uma nova Venezuela

COMPARTILHE!

A Argentina começa a colher os frutos do que plantou; ou seja, um governo de esquerda dando continuação a mais de uma década de destruição do país.

A diferença é que agora o país está em um ponto crítico que só mesmo um governo de direita e com muita força, algo equivalente ao Governo Bolsonaro, poderia contornar a situação. Como isso não aconteceu, o país agora descamba no mesmo ritmo que destruiu a Venezuela.

No domingo dia 22, o Presidente Alberto Fernández, já definiu o calote que vai dar na dívida externa. Isto significa imediatamente perder a credibilidade total da comunidade internacional.

A bolsa despenca e as empresas estrangeiras que ainda restavam por lá se preparam para sair do país. Esse adiamento unilateral da dívida de 9 bilhões de dólares rebaixou a nota de sua classificação pelas agências de risco Fitch e S&P.

O presidente de centro-esquerda, praticamente poste de Cristina Kirchner, (O Lula da Argentina) enfrenta uma Argentina de 41% de pobres e como medida fez aprovar uma lei de emergência econômica que aumenta impostos para as classes alta e média e benefícios sociais para setores carentes. Manteve a limitação da compra de dólares em 200 por mês por pessoa.

Segundo especialistas, esse tipo de administração é um ciclo vicioso que leva ao enfraquecimento total até que o país cai num ponto em que tem que ser governado a força, como na Venezuela e seus presidentes se tornam ditadores.

As manifestações já começaram. Agricultores destruíram plantações revoltados com as tarifas impraticáveis. Para um país que em 2019 registrou uma queda de 3,1% no PIB e inflação anual de 55% além de uma dívida de quase 90% do PIB não há nenhuma esperança de salvação num governo de esquerda.

Depois de passada a euforia da eleição, que desta vez foi baseada na “emoção” e não na realidade do país, os argentinos começam a se arrepender da escolha.

Um país cheio de orgulho de suas tradições e descendência puramente europeia. Berço acolhedor de nazistas após a Segunda Guerra Mundial, e fanatismo por ditaduras que vem desde a época de Peron, agora sua população encontra-se pagando um alto preço por suas escolhas políticas.

Argentina, um dos grandes do “Foro de São Paulo”, agora encontra-se isolada, junto com a Venezuela, sendo os únicos países da América do Sul de total esquerda com a prática do comunismo deliberado.

Claro que isso trás consigo todas aquelas pragas que todos já conhecem; “Ideologia de Gênero, aprovação do aborto, destruição das igrejas, apoio aos movimentos LGBT, destruição da família e a lista não tem fim. Lembremos também que é a pátria do Papa Francisco, o destruidor do catolicismo tradicional e apoiador de todas as práticas comunistas.

Tudo isso serve de lição para nós brasileiros que ao contrário da Argentina que afunda, vemos nosso país em pleno crescimento em todos os setores em tão pouco tempo. Fruto de um Governo de Direita, alinhado com os valores cristãos, com a honestidade e atendendo plenamente os anseios da população e não de minorias e de corruptos como era antes.

Para o Governo Brasileiro, só resta preparar as fronteiras, dessa vez no sul do país pois em breve começarão as fugas de argentinos em direção ao Brasil pois estamos às portas de uma segunda Venezuela.

(Leonardo Bezerra)
radionovapatriaamada.com/l/argentinos-ja-se-arrependem-de-ter-votado-na-esquerda-vem-ai-uma-nova-venezuela/#.XgZAspktBR1.whatsapp