Atenção! A Globo quer derrubar Bolsonaro e o jogo vai ser pesado (Veja o Vídeo)

É PRA COMPARTILHAR!

Desde o governo Getúlio Vargas grandes conglomerados empresariais se formaram para explorar a mídia.

A fórmula perdura até os dias de hoje.

Dos Diários Associados de Assis Chateaubriand até a Globo da família Marinho.

As fortunas que se formaram nas empresas de comunicação sempre viveram do dinheiro do Estado. De Norte à Sul!

Quando essa relação promíscua se encerra, os impérios derretem.

Foi assim, para ficarmos somente com alguns exemplos, com Última Hora, Manchete, o Jornal do Brasil, o Diário do Comércio, a Gazeta Mercantil, a TV Excelsior, a Rede Mulher, a rede Tupi.

Há uma histórica relação promíscua entre quem exerce o poder, as concessões e os concessionários de veículos de comunicação em todo o país.

Tanto é assim, que milhares de emissoras de rádio e TV e mesmo os jornais a eles vinculados, em todo o país, são de propriedade de políticos ou seus familiares.

Essa depravação forma um círculo vicioso.

O político, através do dinheiro público, sustenta os veículos.

E o político que não faz parte do sistema, se vê refém dele, num contínuo processo de “morde e assopra”.

Fica sempre exposto: ou cede e abre os cofres, ou é exposto à execração pública.

E a família Marinho conseguiu aprimorar esse circuíto, pois fez com que todas as suas subsidiárias nos Estados (mesmo as controladas por políticos) ficassem dependentes deles.

São inteligentes, formaram alianças com outros veículos para dividir o butim.

De 1930 em diante, essa história tem se repetido.

Governo que não contempla os imperadores da mídia, sangra todos os dias.

Foi a mídia que levou Getúlio ao suicídio, que infernizou o exitoso Governo JK, que fez o movimento de 1964 (defendido por Roberto Marinho – e recentemente negado pela atual gestão da emissora).

Grande parte dos governos militares, Sarney, Collor, FHC, Lula, Dilma e Temer passaram os seus governos no torniquete.

Liberavam grana? A crítica afrouxava.

Na hora do fechamento dos patrocínios, a crítica contundente vinha. Quem não se enquadra está fora!

Bolsonaro encerrou essa lógica. Cortou a mamata e acena com o fim dessa relação promíscua.

Sem escrúpulos esses empresários não se preocupam com o Brasil, com nossa soberania, com o bem-estar da população.

É o que estamos vendo. Um escandaloso movimento de reação da Rede Globo, para manipular a opinião pública, criando crises desnecessárias, artificiais, forçadas, enganosas e ilusórias.

Expondo o país a riscos institucionais sérios.

Protegendo seus aliados bandidos, sejam agentes da esquerda (a quem dá abrigo), seja minando as ações de combate a corrupção com a proteção editorial de corruptos e corruptores.

Pondo em dúvida, todos os dias, em todos os veículos, a lisura de instituições sérias e dando abrigo a agentes comprometidos com tudo o que há de podre encravado nos três poderes da República (notadamente no Congresso e no STF) aliados aos seus interesses.

Por quê? Por estar tendo suas estruturas de poder ameaçadas! Só por isso.

E vai minar a popularidade de Bolsonaro! Dia após dia!

Para quê? Para que siga mandando e mamando!

Tentou não deixá-lo ser candidato.

Tentou derrotá-lo na eleição de todas as formas (quem esquece os escândalos das pesquisas).

Tentou enfraquecê-lo e desmoralizá-lo interna e externamente antes da posse.

Ridicularizou suas conquistas internacionais.

Minimiza suas vitórias e iniciativas internas.

Agora faz de tudo para que não governe.

Se puder, provoca uma crise internacional mentirosa para justificar uma intervenção externa no nosso território.

Tenta jogar o mundo contra o Brasil prejudicando imagem, negócios, movimentos diplomáticos.

Coisa séria!

Esses caras não tem limites!

A sociedade precisa estar atente e reagir!

O Brasil tem que se livrar da Rede Globo.

Ela, se alia ao diabo para manter as regalias dos seus sócios milionários e meia dúzia de protegidos seus.

Sabe, que a exemplo das suas congêneres, que se não derrubar o governo, seu império desmorona, como ruíram estruturas muito maiores proporcionalmente que as suas.

Bolsonaro tem que reagir com firmeza!

Organizar imediatamente uma estrutura para enfrentar com consistência a guerra suja das informações manipuladas.

A nação tem que reagir com dureza!

Não podemos seguir nesse jogo.

Ele ameaça nossa liberdade!

O único abrigo que o Presidente tem são seus eleitores.

Agora, definitivamente, somos nós contra eles!

Passou da hora de jogar duro!

Mas muito duro!

Duríssimo!

Assista ao vídeo:

Luiz Carlos Nemetz

É PRA COMPARTILHAR!