Barroso: “A única coisa que eu sei é que houve uma clara ação de violação criminosa de comunicação privada”

O Supremo Tribunal Federal (STF) volta a julgar a restrição ao foro privilegiado para parlamentares e ministros. A discussão sobre o caso foi interrompida em junho por um pedido de vista do ministro Alexandre de Moraes. O placar do julgamento está em quatro votos pela restrição. Brasilia, 23-11-2017. Foto: Sérgio Lima/PODER 360

COMPARTILHA

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, voltou a explicar o que os vazamentos são na realidade: “Violação criminosa de comunicação privada”.

“Eu sou juiz. Juiz fala ao final. Não no início, nem no meio. A única coisa que eu sei é que houve uma clara ação de violação criminosa de comunicação privada. Eu queria saber qual família resistiria a dois anos de violação de comunicação privada?”, disse Barroso.

Precisamos de mais ministros como Barroso.

O Globo

COMPARTILHA