Bolsonaro antidroga: Depois de tanta indiferença e até incentivos, surge uma boa notícia

É PRA COMPARTILHAR!

Finalmente, depois de toda a confusão deixada pelo ex prefeito almofadinha no combate às drogas, foi sancionada pelo governo Bolsonaro a lei que permite a internação forçada de usuários de drogas.

Não haverá mais necessidade de autorização da justiça para isso.

Pela nova legislação, o fim do tratamento só poderá ser autorizado pelo médico que acompanha o caso.

Antes, familiares ou representantes legais tinham esse poder.

Acompanhando a opinião da maioria dos médicos a nova lei vai dar prioridade à redução de consumo, e não mais para a redução de danos.

O método, evidentemente, funciona muito mais no combate à verdadeira praga que é o vício, já que a maioria dos usuários que passavam por tratamento de redução voltavam às drogas rapidamente.

Manter o foco e combater a raiz do mal – o vício – é bem mais inteligente.

A proposta vem de 2013, de Osmar Terra, hoje ministro da Cidadania.

E fortalece a política nacional antidrogas, endurecendo também as penas para traficantes. O criminoso agora pode sofrer pena de 5 a 8 anos de prisão por tráfico, chegando ao máximo de 15 anos.

Será feita igualmente a apreensão pela autoridade policial de todo e qualquer objeto usado no tráfico.

As novas medidas, mais realistas, preveem atenuantes quando o acusado não for reincidente ou não integrar organização criminosa.

O combate à essa praga que assola o país – especialmente o crack – se fazia mais do que necessário.

Tratar efetivamente os usuários – se possível – é a maneira mais eficaz para se acabar com outra praga: o traficante.

Depois de anos de indiferença e até incentivo ao consumo de drogas pelos governos canhotos, essa realmente é uma boa notícia.

Transformar o povo em zumbis para dominá-lo é uma estratégia muito, muito antiga, usada até pelos ingleses em suas colônias.

E de zumbis vermelhos já estamos cheios.

Marco Angeli Full

É PRA COMPARTILHAR!