Brasil se afasta de di­ta­duras e apro­xima-se cada vez mais de na­ções li­vres, como EUA e Is­rael

Através de de­cla­ra­ções con­juntas feitas entre o go­verno Bol­so­naro e re­pre­sen­tantes de na­ções li­vres, Brasil es­treita re­la­ções com na­ções prós­peras e de­sen­vol­vidas.

Nesta terça-feira (22 de se­tembro) o go­verno Bol­so­naro (na pessoa de Edu­ardo Bol­so­naro) as­sinou mais um do­cu­mento de de­cla­ração con­junta com um país livre e de­sen­vol­vido. Desta vez, foi a nação de Is­rael que firmou mais uma ali­ança mútua, tendo como seu emis­sário o re­pre­sen­tante do con­gresso is­ra­e­lita, Zvi Hauser. A in­ter­me­di­ação para a as­si­na­tura do do­cu­mento foi feita pelo em­bai­xador Yossi Shelley, além do pre­si­dente do con­gresso de Is­rael, Yariv Levin. O ato (que ocorreu através de vi­de­o­con­fe­rência) marca mais um passo na par­ceria e co­o­pe­ração entre as na­ções.

Além desta ali­ança, o Brasil também apro­ximou-se (nos úl­timos dois anos) de países como Es­tados Unidos, Hun­gria, Japão, Polônia, Itália, Grã-Bre­tanha, Índia. Além de re­forçar laços com vi­zi­nhos e par­ceiros co­mer­ciais como Colômbia, Chile, Uru­guai, e Pa­ra­guai.

Continua depois da publicidade

Jornal Vera Cruz

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

GLOBO: “Delírio que envergonha o país”, diz Observatório do Clima sobre fala de Bolsonaro na ONU

Hi­po­crisia: Ca­sa­grande de­fende atleta que ataca Bol­so­naro, mas cri­tica es­por­tistas que de­fendem o pre­si­dente

Selecionados para você!