Brasil tem quase 100 mil casos em 24h, e mortes sobem 29% na média

Compartilhar

País tem 620.609 óbitos e 22.815.827 casos registrados do novo coronavírus, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. Média móvel de mortes é de 126 por dia e indica alta.

O Brasil registrou nesta quinta-feira (13) 97.221 novos casos conhecidos de Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 22.815.827 diagnósticos confirmados desde o início da pandemia.

Com isso, a média móvel de casos nos últimos 7 dias foi a 60.072 – a maior registrada desde 29 de junho do ano passado (quando estava em 65.070). Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +634%, indicando tendência de alta nos casos da doença.

O país também registrou 190 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 620.609 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias é de 126. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +29%, indicando tendência de alta nos óbitos decorrentes da doença.

Cinco estados não tiveram registro de morte nesta segunda: AC, AL, AP, RN e RR.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Instabilidade nos sistemas
Após o apagão de dados do Ministério da Saúde, os estados começaram a normalizar a divulgação de números de Covid-19 no Brasil no dia 4 de janeiro.

Em 12 de dezembro, o ministério informou que o processo para recuperação dos registros dos brasileiros vacinados contra a Covid-19 após ataque hacker foi finalizado, sem perda de informações. Mas, no dia seguinte, o ministro Marcelo Queiroga disse que houve um novo ataque hacker. A previsão inicial de estabilização dos sistemas, de 14 de dezembro, não foi cumprida.

Em janeiro, o ministério informou que quatro de suas plataformas foram reestabelecidas ainda em dezembro; afirmou que, no dia 7 de janeiro, normalizou a integração entre os sistemas locais e a rede nacional de dados, e que o retorno do acesso às informações tem sido gradual.

g1



Participe e comente
ÚLTIMAS DA HORA
Bolsonaro sanciona lei que devolve PIS/Cofins cobrado na conta de luz
Papa comunista diz que “Deus não existe”; VEJA VÍDEO
Chefe de facção criminosa do Ceará que ostentava vida de luxo é presa
PEC prevê Auxílio Brasil de R$ 600, voucher caminhoneiro de R$ 1 mil e vale-gás mensal de R$ 120
Pedro Guimarães diz ter “vida inteira pautada pela ética”
Pedro Guimarães demitido. Entra Daniella Marques, braço direito de Guedes
Em um vídeo impressionante da “motociata” de hoje, morador de Maceió ironiza “como que Lula lidera as pesquisas?” , VEJA
Sargento da FAB conquista ouro em mundial de tiro com arco realizado na França, VEJA VÍDEO
Presidente da Caixa é acusado de assédio sexual por funcionárias: “Parecia um boto se exibindo”
Senadores cobram criação de três CPIs já protocoladas no Senado
Nova PEC no Congresso limita poderes do STF e define mandato para ministros
Ministério da Defesa indica militares que vão fiscalizar eleições
Renan Calheiros pode ser presidente da CPI do MEC
Mulher trans vence menina em torneio de skate feminino em NY
Cármen Lúcia pede que PGR avalie se Bolsonaro cometeu crime no caso de Milton Ribeiro
Gilmar Mendes é diagnosticado com Covid-19 em Portugal
STJ retoma processo do TCU que cobra R$ 2,8 milhões de Deltan Dallagnol
Ex-ministro Milton Ribeiro é preso em operação da PF
Lula: "Bolsonaro foi ao Exército para ”aprender a ser homem”
Presidente da Petrobras deve renunciar nesta segunda-feira
Lira chama a Petrobras de ‘criança mimada’ e diz que o Brasil pode enfrentá-la
A luta de Bolsonaro para baixar impostos no Brasil
Globo é condenada por sexismo contra jornalista
Adolescentes levam bronca por uso de drogas e colocam fogo em escola estadual
Bolsonaro diz que TSE não aceitou contagem simultânea de votos
Compartilhar

Tarcísio confirma: pré-candidato ao Gov de São Paulo

Lula quer voltar à Presidência para “aparelhar o Estado e assaltar a Petrobras”, afirma Rogério Marinho

Ajude a manter o site no ar. Faça uma doação de qualquer valor.


Compartilhe nos grupos do Facebook e nas suas redes.