Caiado proíbe vacinação obrigatória contra a Covid-19 em Goiás

Compartilhar

Governador diz que não é possível impor imunização porque o cidadão ‘tem o direito de poder fazer a sua escolha’. Lei, que já está em vigor, foi proposta por deputado sob justificativa de que vírus ‘não é letal’.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), sancionou a lei que que proíbe a obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19 no estado. Com isso, cabe ao cidadão decidir se quer ou não ser imunizado. A decisão passou a valer na terça-feira (12), quando foi publicada no Diário Oficial.

A lei diz que “é assegurado à pessoa residente no Estado de Goiás o direito de não se submeter de forma compulsória à vacinação adotada pelo Poder Público para o enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da Covid-19”.

O projeto de lei já havia sido aprovado na Assembleia, em duas votações, em dezembro do ano passado. Entre as justificativas usadas, o autor do texto, deputado delegado Humberto Teófilo (PSL), disse que a obrigatoriedade feria o direito à liberdade individual. Ele também alegou que o vírus “não é fatal”.

Caiado defendeu que a decisão de não se vacinar é uma “prerrogativa do cidadão” e que ele não pode ser obrigado pelo estado a fazê-lo.

“Não se impõe obrigatoriedade. Isso é uma prerrogativa do cidadão. Cada cidadão tem o direito de poder fazer a sua escolha. Não podemos impor, num regime democrático, com uma constituição cidadã, que a pessoa amanhã seja privada de algo que ele deseja”, avalia.

Ele disse ainda que vai mostrar à população a importância da vacinação e que gostaria “estar no primeiro lugar da fila” para receber a dose e que quem não o fizer pode estar sujeito a determinadas restrições.

“É lógico que quando ele for fazer uma viagem, se isso for uma condicionante, ele não vai poder fazer a viagem. Em algumas circunstâncias, ele poderá não poder ocupar um cargo ou uma função se não tiver uma vacina. Agora, o estado não pode determinar que a pessoa tenha que ser vacinada”, destaca.

“A vacina será ofertada a população, agora não pode impor à população. Farei toda campanha no sentido de motivar as pessoas. Já disse dezenas de vezes que queria estar no primeiro lugar da fila para tomar a vacina. Vou conclamar a todos que vacinem, mas por livre e espontânea vontade”, conclui.

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO), se manifestou no mesmo sentido. De acordo com o presidente da Comissão de Direito Constitucional, Ponciano Martins Souto, a medida tem amparo jurídico.

“Cidadão não pode ser forçado a vacinar. O cidadão precisa ter mecanismos adequados a vacinar, por exemplo, uma imposição de multa e outras restrições. Não pode, de forma alguma ser obrigado a vacinar. Penso que o estado de Goiás fez uma opção e não vejo essa opção seja juridicamente inadequada”, pontua.

agoranoticiasbrasil



Participe e comente
ÚLTIMAS DA HORA
Bolsonaro sanciona lei que devolve PIS/Cofins cobrado na conta de luz
Papa comunista diz que “Deus não existe”; VEJA VÍDEO
Chefe de facção criminosa do Ceará que ostentava vida de luxo é presa
PEC prevê Auxílio Brasil de R$ 600, voucher caminhoneiro de R$ 1 mil e vale-gás mensal de R$ 120
Pedro Guimarães diz ter “vida inteira pautada pela ética”
Pedro Guimarães demitido. Entra Daniella Marques, braço direito de Guedes
Em um vídeo impressionante da “motociata” de hoje, morador de Maceió ironiza “como que Lula lidera as pesquisas?” , VEJA
Sargento da FAB conquista ouro em mundial de tiro com arco realizado na França, VEJA VÍDEO
Presidente da Caixa é acusado de assédio sexual por funcionárias: “Parecia um boto se exibindo”
Senadores cobram criação de três CPIs já protocoladas no Senado
Nova PEC no Congresso limita poderes do STF e define mandato para ministros
Ministério da Defesa indica militares que vão fiscalizar eleições
Renan Calheiros pode ser presidente da CPI do MEC
Mulher trans vence menina em torneio de skate feminino em NY
Cármen Lúcia pede que PGR avalie se Bolsonaro cometeu crime no caso de Milton Ribeiro
Gilmar Mendes é diagnosticado com Covid-19 em Portugal
STJ retoma processo do TCU que cobra R$ 2,8 milhões de Deltan Dallagnol
Ex-ministro Milton Ribeiro é preso em operação da PF
Lula: "Bolsonaro foi ao Exército para ”aprender a ser homem”
Presidente da Petrobras deve renunciar nesta segunda-feira
Lira chama a Petrobras de ‘criança mimada’ e diz que o Brasil pode enfrentá-la
A luta de Bolsonaro para baixar impostos no Brasil
Globo é condenada por sexismo contra jornalista
Adolescentes levam bronca por uso de drogas e colocam fogo em escola estadual
Bolsonaro diz que TSE não aceitou contagem simultânea de votos
Compartilhar

“O ex-presidiário Lula jamais terá o apoio maciço dos evangélicos”, afirma deputado (veja o vídeo)

Governo Bolsonaro prepara ‘pacote’ de benefícios para PMs

Ajude a manter o site no ar. Faça uma doação de qualquer valor.


Compartilhe nos grupos do Facebook e nas suas redes.