China comunista pratica extração forçada de órgãos

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

Na última quinta-feira (19/11), durante uma conferência virtual do grupo Médicos Contra a Colheita Forçada de Órgãos (DAFOH – sigla em inglês), o deputado americano Steve Chabot condenou a extração forçada de órgãos de prisioneiros de consciência pelo regime comunista da China. Além disso, Chabot chamou a prática de “hedionda e bárbara”.

O regime comunista tem matado pessoas, para a extração forçada de órgãos, há pelo menos 20 anos.

Chabot disse que está trabalhando em uma nova legislação que responsabilizaria o Partido Comunista Chinês pela extração forçada de órgãos de adeptos do Falun Gong.

Continua depois da publicidade

“A legislação ainda não está completa. Ainda estamos em negociações, mas espero que em breve tenhamos um projeto de lei”, disse Chabot.

Matt Salmon, vice-presidente de assuntos governamentais da Arizona State University e ex-representante dos EUA, pediu uma ação mais concreta para impedir o tráfico de órgãos.

“Não tenho certeza de que apenas publicar projetos de lei que condenem as práticas seja suficiente. Acho que temos que ter uma legislação que realmente tenha dentes por trás disso”, disse Salmon.

Salmon sugeriu que uma forma de reprimir a prática é impor sanções aos americanos que compram ou usam órgãos extraídos da China, bem como às empresas que estão envolvidas na prática.

“Se realmente acabarmos com isso aqui nos Estados Unidos, fará uma grande diferença”, completou Salmon.

A China é o único país conhecido por conduzir a extração de órgãos administrada pelo estado, de acordo com Weldon Gilcrease, vice-diretor do DAFOH.

Terça Livre

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

VEGONHA: Manifestações ‘pró-democracia’ e ‘contra racismo’ são marcadas por vandalismo

PERIGO: Trump sofre novo revés judicial na Pensilvânia