Conheça as provas que aumentaram a sentença de Lula

COMPARTILHE AGORA!

Condenação de Lula na 2ª instância no caso do sítio: veja as provas que basearam a decisão do TRF-4.

Decisão unânime dos desembargadores confirmou condenação de 1ª instância proferida em fevereiro deste ano e aumentou a pena do ex-presidente para para 17 anos, um mês e dez dias.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) confirmou, nesta quarta-feira (27), a condenação em 2ª instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo sobre o sítio de Atibaia. A decisão foi unânime, e os três desembargadores votaram pelo aumento da pena de Lula para 17 anos, um mês e dez dias.

Em fevereiro de 2019, Lula havia sido condenado a 12 anos e 11 meses por corrupção e lavagem de dinheiro no processo da Lava Jato que apura se ele recebeu propina por meio da reforma de um sítio em Atibaia (SP).

RESUMO das provas e argumentos citados no voto do relator Gebran Neto:

Interrogatório de Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht e réu no processo;
Interrogatório de Emílio Odebrecht, ex-presidente do Conselho de Administração do Grupo Odebrecht e réu no processo;
Documentos encontrados no apartamento de Lula em São Bernardo do Campo durante cumprimento de mandado de busca e apreensão;
Georreferenciamento dos telefones de Leo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e Paulo Gordilho, arquiteto da OAS, ambos réus no processo;
E-mail de Marcelo Odebrecht a Branislav Kontic, assessor de Palocci;
E-mail de Marcelo Odebrecht à secretária de Emílio Odebrecht;

COMPARTILHE AGORA!