CPI das Fakenews: Agência de checagem recebeu apoio de empresa ligada a magnata esquerdista

COMPARTILHA

O que pensar quando um portal especializado em apontar publicações falsas na internet recebe apoio de um grupo político? Saltou aos ouvidos da equipe do Portal Novo Norte a declaração do jornalista Sérgio Boeck, do Projeto Comprova – uma das maiores agências de checagem do país – que assumiu, durante a CPI das Fake News, na tarde desta quarta-feira (6) o recebimento de treinamento da First Draft, grupo financiado por George Soros, bilionário patrocinador da extrema esquerda, através de uma de suas empresas, a Open Society.

O jornalista afirmou que os financiadores do Projeto Comprova são as empresas Facebook e Google e negou receber dinheiro de Soros.

A informação foi apresentada à CPI após o questionamento da deputada Caroline De Toni (PSL-SC) sobre o envolvimento do Projeto Comprova com organizações internacionais. De acordo com o jornalista, os critérios de avaliação das notícias falsas e a indicação de softwares foram feitos pela First Draft.

Em resposta aos questionamentos da parlamentar, o jornalista ainda admitiu que no segundo turno das eleições presidenciais em 2018, o presidente Bolsonaro foi mais “checado” pela agência. “Reputo isso a organicidade das redes que davam suporte a Bolsonaro no segundo turno”, acrescentou.

Open Society e George Soros

Em seu site oficial, a Open Society se define como organização “apoiadora de indivíduos e organizações de todo o mundo, lutando por liberdade de expressão, transparência, governo responsável e sociedades que promovam justiça e igualdade”.

Em seu site oficial a Open Society se define como organização “apoiadora de indivíduos e organizações de todo o mundo, lutando por liberdade de expressão, transparência, governo responsável e sociedades que promovam justiça e igualdade”.

Segundo as alegações do portal, doações são feitas “àqueles que enfrentam a discriminação puramente por serem quem são”. Fora da cobertura de sua própria mídia, Soros é conhecido como magnata esquerdista que destina para pautas como legalização das drogas, aborto, diversidade e ideologia de gênero, entre outros assuntos. Também é financiador de lideranças políticas de esquerda, inclusive no Brasil, e apoiador de causas como a da Fundação Marielle Franco.

portalnovonorte

COMPARTILHA