Ditadura sanitária: Hospital se nega a fazer transplante renal em mulheres não vacinadas

Compartilhar

Uma mulher do Colorado com insuficiência renal em estágio 5 (lesão muito severa) estava a semanas de receber um novo rim, porém a UCHealth (University of Colorado Health) – sistema de saúde sem fins lucrativos – se negou a fazer o transplante.

Leilani Lutali conseguiu uma doadora, porém ela está procurando outro hospital que aceite salvar sua vida.

A UCHealth alegou que a maioria dos receptores de transplantes e doadores vivos agora devem ser vacinados contra COVID-19.

Nenhuma das mulheres foi vacinada.

“É sua escolha sobre o tratamento que você vai fazer. No caso da Leilani, a escolha foi tirada dela. Sua vida agora foi mantida refém por causa desse mandato obrigatório da vacina”, disse Jaimee Fougner, a doadora.

Fougner diz que não recebeu a vacina por motivos religiosos e também porque ainda há muitas incógnitas sobre os imunizantes.

“No final de agosto, eles confirmaram que não havia necessidade de injeção de COVID”, disse Lutali.

“Um mês depois, descobri que as normas haviam mudado, tanto para o doador quanto para o receptor. ”

Através de um comunicado, a UCHealth informou que elas são “incompatíveis por não receberem a vacina COVID-19”. O hospital deu 30 dias para que elas iniciem a série de vacinas. Se recusarem, serão retiradas da lista de transplantes renais:

“Para pacientes transplantados que contraem COVID-19, a taxa de mortalidade varia de 20% a mais de 30%. Isso mostra o risco extremo que COVID-19 representa para receptores de transplante após suas cirurgias ”

Leilani e Jaimee não conseguiram encontrar um hospital no Colorado que faça o transplante enquanto não estiverem vacinadas.

Elas agora buscam ajuda em outros estados.

diariodobrasil

Compartilhar

AO VIVO: CPI conclui depoimentos nesta quinta-feira com ex-médico e cliente da Prevent Senior

A China ameaça o mundo: “Terceira Guerra Mundial pode ser deflagrada a qualquer momento”

Ajude a manter o site no ar. Faça uma doação de qualquer valor.


Compartilhe nos grupos do Facebook e nas suas redes.