“Ele se julga primeiro-ministro do Brasil”, afirma Augusto Nunes sobre Rodrigo Maia

Vamos compartilhar!

Nesta última terça-feira (18), o ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, afirmou, sem saber que estava sendo gravado, que o governo não pode “aceitar esses caras chantagearem a gente o tempo todo”, referindo-se ao Congresso Nacional.

A fala foi transmitida durante transmissão ao vivo pela internet, pelo perfil do presidente Jair Bolsonaro, durante evento de hasteamento da bandeira em frente ao Palácio da Alvorada.

Heleno conversava com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. A fala do general repercutiu nas Casas Legislativas de Brasília. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chegou a chamar Heleno de “radical ideológico”.

Ao comentar o caso, o jornalista Augusto Nunes declarou: “O que disse o general Heleno é o que os brasileiros decentes pensam. É a verdade. Eu subscrevo a frase dele”.

E completou: “É claro que [a frase] dita por um membro do governo provoca esse tipo de problema e essas reações. Como eu, Augusto, não ocupo nenhum cargo, posso dizer: o Congresso chantageia o governo. Não há outra palavra para qualificar o que faz o Congresso com o orçamento. Eles querem cada vez mais verbas. […] Eles estão violando a Constituição ao implantar um parlamentarismo de fato. O Rodrigo Maia se julga primeiro-ministro do Brasil”, declarou.

A declaração de Augusto Nunes foi dada durante comentário no programa ‘Os Pingos Nos Is’, da rádio Jovem Pan, nesta última quarta-feira (19).

Conexão Política

Vamos compartilhar!