FIM! Arquivado processo contra Eduardo Bolsonaro por declarações sobre o AI-5

Compartilhe!

BRASÍLIA
O relator da representação contra o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no conselho de ética da Câmara por declarações sobre a volta do AI-5 no Brasil votou nesta segunda (5) pelo arquivamento do processo contra o filho 03 do presidente Jair Bolsonaro.

Na avaliação do deputado Igor Timo (Podemos-MG), autor do parecer preliminar, não há justa causa para que o processo seja admitido. Por isso, argumentou, a representação deve ser arquivada.

Continua após a publicidade

A oposição, no entanto, discordou da decisão e pediu vista (mais tempo para análise) do relatório. A ideia é apresentar parecer alternativo na sessão de quinta-feira (8), quando a análise será retomada.

Apesar de votar pelo arquivamento, o relator disse que queria “deixar claro” e “registrar” que o AI-5 foi um “tempo obscuro” e que o “Brasil não permite, em tempo algum, referenciar ou citar com saudosismo tempos sombrios” de sua história.

Já a oposição fez fortes críticas ao parecer. “O relatório de Igor Timo é uma vergonha. Um salvo conduto para a extrema-direita que ameaça as liberdades democráticas”, afirmou a deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS).

“Eduardo Bolsonaro cometeu um crime grave ao ameaçar o país com o AI-5, o ato mais brutal da ditadura civil militar. É incoerente inclusive com o andamento do processo de cassação de Daniel Silveira. Na prática um peso e duas medidas que pode estar relacionado a relação do relator com a família Bolsonaro.”

Antes da leitura, Eduardo Bolsonaro também criticou a oposição, autora da representação.

“Eles [a oposição] entendem que a maneira de se fazer política é judicializando e, por vezes, dando entrada, também, neste conselho de ética”, disse. “De maneira alguma eu fiz metade ou 10% daquilo que eles me acusam neste processo.”

Ao final, após o voto do relator, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro era o “menos interessado” em que o Brasil vire uma ditadura.

“Em igual monta também, eu, deputado federal mais votado da história do país —e muitos aí dizem que eu deveria ser cassado, uma total violação do nosso sistema representativo— sou o menos interessado também em ter qualquer tipo de ditadura, porque o poder já está em nossas mãos”, afirmou.

Folha de São Paulo

Compartilhe!

Remédios têm melhor resposta a variantes do que vacinas, explica médico

Brasil pede o afastamento de Dória do Governo de São Paulo

Continua após a publicidade

Comentários


Ajude a manter o site no ar. Faça uma doação de qualquer valor.


Compartilhe nos grupos do Facebook e nas suas redes.