Hipócrita: CEO do Twitter diz que banir Trump abriu “precedente perigoso”

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

Diz que, ainda assim, foi a decisão certa, situação insustentável, afirma Dorsey.

O presidente-executivo do Twitter, Jack Dorsey, disse nessa 4ª feira (13.jan.2021) que banir o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de sua plataforma foi a “decisão certa”, mas a medida estabelece um “precedente perigoso”.

Após o ataque ao Capitólio, em 6 de janeiro, a empresa argumentou que havia risco de mais incitação à violência e removeu a conta de Trump.

“Eu não comemoro ou sinto orgulho por termos que banir Donald Trump do Twitter, ou de como chegamos aqui”, escreveu Dorsey em seu perfil na rede social. “Tomamos uma decisão com as melhores informações que tínhamos com base nas ameaças à segurança física dentro e fora do Twitter. Isso estava correto?”

“Acredito que essa foi a decisão certa para o Twitter. Enfrentamos uma circunstância extraordinária e insustentável, que nos obrigou a focar todas as nossas ações na segurança pública”, afirmou o CEO da rede social.

Dorsey disse que, mesmo sendo a decisão acertada, a “proibição é uma falha da empresa em promover uma conversa saudável”.

“Ter que tomar essas ações fragmenta a conversa pública”, declarou. “Elas nos dividem. Limitam o potencial de esclarecimento, redenção e aprendizado. E abrem um precedente que eu sinto que é perigoso: o poder que um indivíduo ou corporação tem sobre uma parte da conversa pública global”.

Poder 360

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

A casa caiu! Texas abre investigação contra Google, Facebook, Twitter, Amazon Web Services e Apple

Vacina da Fiocruz é 70% eficaz já na primeira dose, diz pesquisadora de Oxford