Inacreditável! Deputada Tábata Amaral tenta acabar com o direito do eleitor de escolher quem o representa

É PRA COMPARTILHAR!

Como toda ação autoritária da esquerda, essa também vem envernizada de boas intenções. Tudo que a esquerda faz para sabotar a democracia, vem numa embalagem de “medida para salvar a democracia”.

A deputada Tabata Amaral, famosa por pagar R$ 23 mil ao próprio namorado utilizando o fundo partidário, resolveu nos presentear com um projeto de lei que só pode ter sido elaborado por quem não entende como funcionam as eleições no Brasil.

Tabata quer que, numa eleição para senador onde haja duas vagas, uma delas seja OBRIGATORIAMENTE preenchida por mulheres, desrespeitando o voto de mulheres e homens que escolheram seus representantes. Um absurdo gigantesco.

Na cabeça vitimista de Tabata, os brasileiros homens não sabem votar e por isso mulheres não são eleitas e nem representadas. Tabata, na sua ignorância infinita, se esquece que mais da metade da população brasileira é composta de mulheres. Mulheres essas que, ao escolher quem vai representá-las, não o fazem colocando o sexo do escolhido como prioridade.

A deputada quer justamente fazer um afago às políticas divisivas da esquerda, onde não há bem comum, apenas interesses de grupos. Negros devem votar em negros, gays em gays, mulheres em mulheres etc. Políticas que destroem a sociedade que passa a se comportar como numa eterna competição para decidir quem é a maior vítima que merece mais privilégios.

O completo oposto do que prega a direita, que preza pelos valores do candidato.

Ou alguém acha que um conservador deixaria de votar na Damares Alves para votar no Marcelo Freixo só porque ela é mulher?

Fernando Holiday, homossexual e negro, foi eleito com votos da direita.

A direita não se importa com o que você é, mas sim no que você acredita. Pelo simples fato de que suas características físicas não definem seu caráter. Os seus valores, sim.

Então Tabata Amaral, crie vergonha na cara. Seu projeto de lei é inconstitucional, pois cancela a escolha dos que votaram, principalmente a escolha das mulheres. Sob a desculpa de ajudá-las, você está tomando-lhes a liberdade.

As mulheres sabem votar, sabem escolher quem as representa, não precisam de você como supervisora de escolhas.

Quer, de verdade, ajudar mulheres ? Saia em defesa da Damares quando ela for atacada outra vez pelos trogloditas da esquerda.

Frederico Rodrigues

É PRA COMPARTILHAR!