O adversário aparelhou todo o sistema por décadas

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

“Pé na porta” não é estratégia, é suicídio…

Apelo para a racionalidade de todos, à inteligência emocional e a certeza de que nesta sexta-feira (19) muita coisa nos foi ensinada na prática.

Agora todos entenderam os motivos do silêncio do governo sobre as punições de militantes que usaram as “palavrinhas mágicas”. É uma armadilha.

Hoje todos entenderam porque certas pautas não passam de jeito algum e certos nomes não são aprovados para assumir certos cargos.

Este gosto amargo na tua boca é só a ponta da colher do que membros do governo engolem todos os dias.

E por que engolem?

Porque o adversário é gigante e aparelhou, silenciosamente, todo o sistema por décadas.

“Pé na porta” não é estratégia, é suicídio!

A oposição nunca me surpreende, espero qualquer coisa dela, mas ver “ex-direitistas”, que hoje clamam para si a paternidade do conservadorismo (mesmo tendo votado no Amoedo no 1° turno), usando um erro fatal de um deputado para arrastar o Presidente da República para a ala dos covardes e traidores, é demais…

Ou melhor, “demais” é ver os novos baluartes do conservadorismo usando o cristianismo para forçar uma guinada no posicionamento político de outros indivíduos.

Hoje vi colegas de batalha comparando Bolsonaro ao anticristo.

Aí meu irmão, é de sentar no tapete verde do congresso e esperar passar a carrocinha…

Se eu pudesse aconselhar alguém, eu reforçaria o que digo há meses e meses sem parar: Deixem o fígado em casa e levem o estômago!

NÃO REPITAM AS PALAVRINHAS MÁGICAS CONTRA UMA INSTITUIÇÃO!

Aprendam a lutar essa guerra!

Entendam contra Quem estão lutando!

Em tempo, aos eleitos: usem os ritos do cargo e o plenário.

Executem ATOS POLÍTICOS e não ATOS MIDIÁTICOS.

Não podemos perder mais ninguém.

Raquel Brugnera

JCO

Ajude-me a manter o site no ar. Faça uma doação de qualquer valor.

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

O sábio e estratégico silêncio de Bolsonaro

STF EM APUROS: General faz duros questionamentos ao STF