O gangster americano travestido de jornalista pode ter comprado o mandato de Jean Wyllys

COMPARTILHA

Esse Glenn Greenwald é um sujeito de altíssima periculosidade, conforme vem demonstrando.

Tem muito dinheiro à sua disposição. É financiado por um bilionário francês, radicado nos Estados Unidos, Pierre Omidyar.

É Omidyar o homem que financia o The Intercept e outros projetos de mídia ao redor do mundo. Só o The Intercept, com operações nos Estados Unidos e no Brasil, foi anunciado em 2013 com um cheque de US$ 250 milhões da fundação First Look Media.

Segundo o site NeoFeed, o magnata investe em empresas de impacto social, direitos civis e digitais, e educação por meio do Omidyar Network, fundação que já aportou US$ 1,49 bilhão em vários projetos. Também investe em Organizações Não Governamentais e empresas de mídia em 18 países por meio da Fundação Luminate. Até hoje, tirou do bolso US$ 326 milhões para 251 organizações e empresas.

Empresas de notícias como Nexo Jornal e Publica contam com investimentos da fundação.

Há fundado receio de que o dinheiro desse bilionário tenha financiado a compra do mandato de Jean Wyllys.

Nesse sentido, o deputado federal José Medeiros (PODE-MT) enviou à Procuradoria-Geral da República (PGR) e à Polícia Federal (PF) ofício em que pede a abertura de investigação sobre a “possibilidade de venda do mandato” de Jean Wyllys para David Miranda (PSOL-RJ).

Medeiros também pede a apuração sobre transferências de recursos entre o cofundador do site The Intercept, Glenn Greenwald, e Wyllys – que renunciou alegando estar sofrendo ameaças contra a sua vida.

Greenwald é casado com David Miranda, que assumiu o cargo após Jean Wyllys deixar o país.

Jornal da Cidade Online

COMPARTILHA