Pai e filho são presos por plantação de maconha em três andares de casa em Florianópolis

IGP constatou estufa com quase mil pés de cannabis e prendeu três pessoas. Local tinha ‘sistema elaborado de ventilação e temperatura’, segundo PM.

Uma plantação com quase mil pés de maconha foi encontrada em uma residência em Florianópolis e três pessoas foram presas por suspeita de tráfico, incluindo pai e filho. O flagrante ocorreu na sexta-feira (18) e foi divulgado na segunda (21) pelo Instituto Geral de Perícias (IGP), que está elaborando o laudo final sobre a perícia realizada no local.

De acordo com o IGP, na casa funcionava um laboratório de cultivo. Três andares da casa tinham 958 pés de maconha. Em casa um dos cinco quartos, a cannabis estava em uma fase diferente de crescimento.

Continua depois da publicidade

Pês de maconha estavam em residência de Florianópolis — Foto: PM/Divulgação
Pês de maconha estavam em residência de Florianópolis — Foto: PM/Divulgação

“Tinha um sistema muito elaborado de ventilação e temperatura das plantas, tudo muito bem selecionado. Suspeitamos de algo maior devido à engenharia. Sim, é uma grande produção de maconha”, explicou o tenente coronel Maurício Goncalves Virissimo, comandante do batalhão da PM na área continental da capital, onde a plantação foi identificada.

Além de iluminação específica para manter a temperatura, no local havia sacos de terra e fertilizantes. Segundo a Polícia Militar, na casa foram encontrados celulares, notebooks, dinheiro e anotações que seriam referentes ao tráfico de drogas.

Plantação de maconha foi descoberta em quartos de casa em SC — Foto: PM/Divulgação
Plantação de maconha foi descoberta em quartos de casa em SC — Foto: PM/Divulgação

A PM chegou até a casa no bairro Abraão após uma abordagem de rotina na região. No carro abordado, os policiais encontraram drogas e o motorista informou onde teria conseguido. Quando chegavam ao local indicado, outro veículo que estava saindo da residência tentou fugir e quase atropelou os policiais.

Três suspeitos foram presos e as identidades e idades não foram detalhadas. “Foram autuados pelos crimes de tráfico e associação ao tráfico. Acabaram por nada declararem em seus interrogatório”, informou o delegado Akira Sato, titular da Central de Plantão Policial da Capital. O laudo do IGP deve ser concluído em 10 dias.

G1

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

Eduardo depõe por 6h sobre atos antidemocráticos

PERIGOSA? STJ mantém prisão da ex-deputada Cristiane Brasil

Selecionados para você!