PF vai pra cima e PGR solicita arquivamento de queixa de Boulos contra Eduardo Bolsonaro

O vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, solicitou ao Supremo Tribunal Federal para recusar uma queixa-crime apresentada em 2018 por Guilherme Boulos contra o deputado federal Eduardo Bolsonaro.

O filho do presidente da República, publicou no Twitter que um prédio abandonado e ocupado por sem-teto que pegou fogo em 2018 e desabou no centro de São Paulo havia sido invadido pelo MTST, liderado por Boulos.

“As palavras do querelado [Eduardo Bolsonaro], embora se traduzam em expressões indesejáveis, revelam uma vertente da atuação parlamentar consistente na busca de apoiadores à sua posição ideológica ou enfraquecer o lastro popular das ideias com quem antagoniza. Ademais, a declaração, a despeito de mencionar ‘hipócritas’, é mais direcionada a um determinado campo de ideias, do que a ofensas pessoais ao querelante [Guilherme Boulos]”, Humberto Jacques.

Boulos nega que o prédio tenha sido invadido pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, o MTST, mas pelo Movimento de Luta Social por Moradia, o MLSM.

Gazeta Brasil

COMPARTILHE E COMENTE ABAIXO

MEDO! Advogados de Boulos vão a Brasília entender intimação da PF

‘Estamos atrás dessa gente’, diz Barroso sobre ‘milícias digitais’

Comente!

Selecionados para você!