Polícia conclui que houve culpa do marido na morte de modelo Caroline Bittencourt

Quem é patriota compartilha!

O empresário Jorge Sestini, marido de Caroline Bittencourt, será indiciado por homicídio culposo, pela morte da modelo, que morreu ao cair de uma lancha durante um vendaval que atingiu o litoral norte de São Paulo no último dia 28.

Há claros indícios da conduta culposa de Sestini, que mesmo avisado sobre o mau tempo, resolveu enfrentar o mar.

O depoimento crucial no sentido de que a polícia concluísse pela possibilidade de responsabilização criminal do empresário, foi dado por Lenildo de Oliveira, proprietário da Lemar Garagem Náutica, que sustentou perante a autoridade policial que orientou Jorge sobre às mudanças climáticas previstas.

No domingo, dia do acidente, Lenildo recebeu novos alertas das mudanças climáticas e encaminhou ao cliente por duas vezes, ressaltando que às condições do tempo eram críticas.

O empresário ignorou os avisos e, para o delegado Vanderlei Pagliarini, responsável pelo inquérito, assumiu conduta culposa em relação ao resultado de sua negligência.

“Sabedor do mau tempo que assolava naquele momento a região, especialmente para quem se encontrava a bordo de embarcações de pequeno porte, expressamente advertido a esse respeito, resolveu por lançar-se ao mar, não providenciando ao menos que a vítima utilizasse um colete salva-vidas, como lhe competia, negligência indiscutível que remete aos fundamentos dos delitos culposos”, pontuou o delegado em seu relatório.

Jorge Sestini deverá ouvido e formalmente indiciado por homicídio culposo e o inquérito encaminhado para o Ministério Público para o oferecimento de denúncia.

Se denunciado, processado e condenado, o empresário está sujeito a uma pena de um a três anos de detenção.

Jornal da Cidade Online


NOSSO GRUPO NO WHATSAPP! Entre aqui!

Participe dos debates nos grupos!

Quem é patriota compartilha!