Pontual, Fiuza explica que o Brasil “não é um país racista”, mas alerta: “Há racismo”

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

Nesta sexta-feira (20), Guilherme Fiuza comentou no programa “Os Pingos Nos Is”, no canal da Jovem Pan no YouTube, sobre o caso de agressão e morte ocorrido no Carrefour, em Porto Alegre.

Um vídeo, publicado na internet, mostra um homem negro sendo agredido por dois seguranças brancos, em um supermercado da Rede Carrefour, na quinta-feira (19). O homem agredido não resistiu ao espancamento e acabou falecendo.

Segundo a delegada responsável pela investigação do caso, Roberta Bertoldo, “não tem indícios de se tratar de um caso de racismo”.

Continua depois da publicidade

“Esse caso se trata, sim, de uma violência brutal de dois homens brancos contra um homem negro”, disse Fiuza.

Para Fiuza, o crime foi bárbaro e é inegável que causa revolta em quem toma conhecimento do ocorrido.

Porém, segundo acredita, nas últimas décadas tem havido um grande movimento contra o racismo, tanto no Brasil quanto no restante do mundo.

“Eu acho que é importante a gente afirmar o avanço que tem no combate ao racismo, não só no Brasil, mas no mundo, nas últimas décadas houve um grande avanço. Acho, também, que o Brasil não é um país racista, o Brasil é um país que tende à harmonia racial, mas há racismo no Brasil”, comentou Fiuza.

Assista ao vídeo na íntegra:

JCO

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

Bolsonaro: ‘O que existem são seres humanos bons e maus’

China quebrou o mundo e agora se diverte bem aglomerada