Quanto gasta a família de Paulo Gustavo para salvar a vida do ator

Compartilhe!

Humorista, de 42 anos, está internado desde 13 de março em estado grave, em UTI de hospital caríssimo no Rio de Janeiro.

A tentativa de salvar a vida do humorista Paulo Gustavo, que está em estado grave por conta da Covid-19, é para poucos e custa uma verdadeira fortuna.

Continua após a publicidade

Médicos procurados pelo KTV afirmam que entre internação e recursos extras, a diária de Paulo Gustavo na UTI do Hospital CopaStar, no Rio, não sai por menos de R$ 50 mil. Sim, R$ 50 mil/dia.

Paulo Gustavo, de 42 anos, está internado desde 13 de março na UTI desse hospital que é um dos mais caros do país. Além de toda uma estrutura especial da unidade, Paulo ainda está sendo submetido a um tratamento de ponta para tentar recuperar os pulmões atingidos pela doença.

Ele está sendo submetido a sessões diárias de ECMO, Oxigenação por Membrana Extracorpórea. Ou seja, a oxigenação do paciente será feita por uma membrana fora do corpo.

Em alguns pacientes, o pulmão se torna incapaz de absorver o oxigênio. Por isso, é preciso “substituir” o órgão. É nessa hora que a ECMO entra. O equipamento age como um pulmão artificial e oxigena o sangue fora do corpo. No caso do humorista, o equipamento usado é de ultima geração, com pouquissimas unidades semelhantes no país. É necessária a presença de profissionais treinados na utilização do ECMO 24 horas por dia ao lado do paciente, para evitar problemas como embolia pulmonar.

O custo dessa tecnologia gira em torno de R$ 30 mil por dia, fora as demais despesas com medicamentos e internação que, no caso do ator, estão sendo levadas ao mais alto nível.

Os médicos não sabem informar quanto tempo Paulo deve utilizar esse equipamento, que é considerado mais moderno do país. A ECMO já é utilizada no Brasil há alguns anos, mas não está disponível em sistemas públicos de saúde, nem em hospitais mais populares.

A ordem da família do ator é não economizar recursos para salvá-lo. Especialistas e profissionais de outros hospitais podem ser chamados se necessário.

agoranoticiasbrasil

Compartilhe!

Kajuru sobre o 1º maio: ‘É gente paga ou alienada’

Argentinos à beira do colapso com recorde de casos de covid

Continua após a publicidade

Comentários


Ajude a manter o site no ar. Faça uma doação de qualquer valor.


Compartilhe nos grupos do Facebook e nas suas redes.