Randolfe responde Bolsonaro: “Só não pode me chamar de miliciano”

Compartilhar

Vice-presidente da CPI da Covid-19 e colegas, Renan Calheiros e Omar Aziz, foram chamados de “três otários” por Bolsonaro.

Alvo de ataques pelas redes sociais do presidente Jair Bolsonaro (sem partido),nesta quinta-feira (15/7), o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) usou o Twitter para responder e disse que não se sente intimidado, mas estimulado a investigar o governo na CPI da Covid-19.

Em postagem, Bolsonaro chamou Randolfe, que é vice-presidente da CPI, e os senadores Renan Calheiros (MDB-AL), relator, e Omar Aziz (PSD-AM), presidente da Comissão, de “três otários”. Randolfe, no entanto, teve o nome omitido e foi referido como “saltitante”.

“Saiba que não me incomodo com os termos que você utiliza para se referir a mim [como] ‘saltitante, fala fina…’ O senhor só não pode me chamar de corrupto, miliciano, superfaturador de vacina e líder de internacional da fraude, né?”, provocou Randolfe.

O senador desejou melhoras a Bolsonaro, mas também ironizou o fato de o perfil do presidente no Twitter seguir sendo alimentado enquanto ele está hospitalizado em São Paulo.

Omar Aziz também respondeu aos ataques presidenciais. Para o senador que preside a CPI, não se trata de Bolsonaro postando, mas de “um moleque, que não tem coragem de mostrar o que é de verdade, que fica assacando quem o contraria”.

O parlamentar ainda desejou saúde ao mandatário “para enfrentá-lo no bom debate, com dignidade, sem apelação”.

“Não quero acreditar que o presidente Jair Bolsonaro, num leito de hospital, esteja gastando energia pra atacar os senadores da CPI”, escreveu ainda o senador amazonense nas redes sociais.

Randolfe e Omar Aziz não falam, mas sempre deixam no ar a provocação de que as postagens raivosas no perfil do presidente são feitas por um de seus filhos, o vereador no Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro.

Metropoles

Compartilhar

AMÉM SENHOR DE DEUS! Bolsonaro tira sonda e possibilidade de cirurgia está afastada

Bolsonaro telefona para Arthur Lira e acena com licença da Presidência

Ajude a manter o site no ar. Faça uma doação de qualquer valor.


Compartilhe nos grupos do Facebook e nas suas redes.