Sob aplausos Bolsonaro manda recado para a imprensa brasileira em discurso incisivo

COMPARTILHE!

O discurso emocionou o público que estava presente no Palácio do Planalto.

No fim da tarde desta quinta-feira (16), o presidente da República, Jair Bolsonaro, desabafou em discurso firme no Palácio do Planalto.

A declaração foi feita diante de cidadãos venezuelanos refugiados no Brasil.

Alguns ministros estavam presentes, a exemplo de Sergio Moro e Abraham Weintraub.

Bolsonaro fez dura crítica aos governos passados, principalmente nas gestões petistas.

Dentre os pontos mais fortes do discurso, destaca-se o momento que o presidente disse olhando para seus ministros “a responsabilidade de mudar o Brasil também está nas mãos dos 22 ministros. Num primeiro momento, que me acompanha, a responsabilidade de todos vocês é enorme.”

Em um tom mais grave o presidente disse “Não dê chances para essa esquerda. Eles não merecem ser tratados como se fossem pessoas normais, como se quisessem o bem do Brasil. Não podemos deixar o Brasil chegar em 2022 na situação que chegou a Argentina no corrente ano e como encaminha o Chile rumo ao caos e ao Socialismo. Não podemos deixar que nossos filhos cheguem na situação dessa garotada que está ao meu lado, que precisaram fugir do seu país (referindo-se as crianças venezuelanas presente no evento).”

Em outro momento o presidente desabafou sobre a responsabilidade de mudar o Brasil:

“Agradeço a Deus pela vida e a vocês, em grande parte, pela missão de conduzir o destino do nosso Brasil. Mas essa responsabilidade é de cada um de vocês. Não queiram que um homem só mude o destino de nosso país. Não tenho forças pra isso. Preciso de vocês! Nós precisamos uns dos outros”.

Em seguida, de forma bem direta e incisiva, Bolsonaro afirmou sobre a imprensa presente: “Essa imprensa que está aqui agora me olhando, estou sob suas lentes. Comecem a produzir verdades, porque só a verdade pode nos libertar”.

Sob aplausos do público, o Presidente continuou: “a essa imprensa, não tomarei nenhuma medida para censurá-los, mas tomem vergonha na cara!”

Continuando o desabafo, Bolsonaro critica a imprensa por polemizar a possível taxação do aço e do alumínio, mas não divulgou “uma linha” quando o governo resolveu o problema.

Bolsonaro também disse que a imprensa divulgou que a Argentina tinha prioridade para entrar para a OCDE, mas não divulgou quando o governo mudou essa situação.

O Presidente finalizou destacando a confiança no governo, dizendo que “ninguém fez mais que o nosso governo nos últimos anos”.

“Meus senhores, não teremos outra chance! O Brasil mais do que tem que dar certo agora! O Brasil vai dar certo! Nós podemos mudar o destino do Brasil e esquecer as diferenças. A imprensa precisa começar a vender a verdade. Afinal de contas, essa é a obrigação de vocês, não é nenhum favor, não.”

O presidente deixou o púlpito sob fortes aplausos.

Conexão Política

COMPARTILHE!