Tolentino se recusa a explicar quem são os donos da FIB Bank

Compartilhar

O advogado Marcos Tolentino, apontado como sócio oculto da FIB Bank, optou por ficar em silêncio diante do questionamento sobre quem são os donos da empresa, que, apesar do nome, não é um banco.

A FIB Bank foi a fiadora do contrato entre o Ministério da Saúde e a Precisa Medicamentos para a compra da Covaxin. Segundo os senadores, a empresa apresentou uma garantia fria.

Tolentino afirmou apenas que as donas da FIB Bank são as empresas Pico do Juazeiro e a MB Guassu.

“Não é que eu não posso explicar. O dono da FIB Bank é a Pico do Juazeiro, sócio minoritário, e majoritário é a MB Guassu.”

Ao ser questionado novamente sobre o assunto, por Tasso Jereissati, o depoente preferiu ficar em silêncio, recorrendo ao habeas corpus concedido pelo STF.

A MB Guassu e a Pico do Juazeiro têm patrimônio declarado somado de R$ 7,5 bilhões, composto por terrenos em São Paulo e no Paraná.

Segundo a senadora Simone Tebet, os terrenos não existem.

“Vossa excelência quer saber quem é dono do FIB Bank? Mas FIB Bank não existe. No próprio nome ele é falso. Ele não existe porque foi construído por uma empresa de prateleira, cujo sócios eram laranjas. Depois, tentam transformar R$ 10 bilhões em patrimônio em R$ 10 milhões. Não conseguem e baixam para R$ 7,5 bilhões. Desse valor, R$ 7,2 bilhões são da MB Guassu. Essa empresa tem um imóvel que começou em Curitiba e foi voando para São Paulo.”

Antagonista

Compartilhar

Covid-19: quase 9 mil brasileiros vacinados morreram em julho

Constantino chama Dória de pigmeu moral ao analisar protestos da oposição

Ajude a manter o site no ar. Faça uma doação de qualquer valor.


Compartilhe nos grupos do Facebook e nas suas redes.