VAI PRA CUBA, PORRA! Colunista da ‘Folha’ defende ‘autoritarismo necessário’

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

Esse “coisa” fala em “calar vozes antivacina”.

Depois de afirmar que o Brasil teria em agosto de 2020 mais de 3 milhões de mortos em decorrência da covid-19, o biólogo Atila Iamarino sai em defesa de ações autoritárias. Em artigo publicado na edição impressa desta quarta-feira, 13, do jornal Folha de S.Paulo, ele defende o que chama de “autoritarismo necessário” — sobretudo em relação à aplicação de vacinas no Brasil.

“Autoritarismo necessário” é, aliás, o título do artigo de Iamarino publicado na Folha. Nesse sentido, ele propõe dois caminhos para a vacinação contra o novo coronavírus no Brasil. Ambos atentam contra as liberdades individuais. Para o colunista, que também é youtuber, “será preciso calar as vozes antivacina ou tornar a vacina compulsória”.

Ao longo do texto, o colunista da Folha de S.Paulo comemora (chegando a classificar de “fundamental”) a decisão de plataformas de redes sociais de bloquear perfis de Donald Trump. Sem mencionar diretamente o presidente Jair Bolsonaro, Iamarino sugere tomada de decisão similar para que, na visão dele, o Brasil possa ter uma “vacinação mais abrangente”.

Cloroquina X CoronaVac
Atila Iamarino ainda critica quem defende o uso de cloroquina para tratamento precoce da covid-19. Por outro lado, afirmou que agora “temos vacinas” contra a doença. Apesar de o artigo ter sido publicado na versão on-line do jornal no início da noite de ontem, ele não comenta uma revelação do dia: a de que a CoronaVac, projeto de imunizante defendido há meses por João Doria, tem eficácia geral de 50,38%.

Revista Oeste

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

Imprensa comunista bloqueia o excelente filme “umplanned” sobre aborto

Pra cheirar? Pfizer aposta em vacina em pó para facilitar distribuição