Caetano se coloca como ‘censurado’

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

Cantor reclama de decisão tomada pela Justiça Eleitoral.

Impedido pela Justiça Eleitoral do Rio Grande do Sul de realizar live para promover candidaturas da esquerda, Caetano Veloso se define como “censurado”. No Instagram, ele reproduziu nesta segunda-feira, 12, vídeo que o coloca como vítima do Poder Judiciário.

A produção audiovisual divulgada pelo cantor e compositor baiano lamenta o parecer tornado público no fim de semana pelo juiz Leandro Figueira Martins, da 161ª Zona Eleitoral de Porto Alegre. O magistrado proibiu a transmissão on-line que seria estrelada por Caetano para arrecadar verba para as campanhas de Manuela D’Ávila (Psol) e Guilherme Boulos (PCdoB). Eles são, respectivamente, candidatos às prefeituras de Porto Alegre e São Paulo.

Continua depois da publicidade

Trecho do vídeo mostra o cantor garantindo que a live estaria de acordo com as regras determinadas pelo jogo democrático brasileiro. Isso porque, segundo Caetano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) “expressamente autoriza a realização de eventos para a arrecadação de recursos para campanhas.”

Showmício
Para se colocar como vítima, Caetano Veloso ignora o fato de a decisão não levar em consideração o fato de ser um evento para levantar dinheiro em prol de determinados candidatos. A transmissão que seria estrelada pelo compositor foi derrubada — ao menos por ora — porque foi classificada como showmício virtual, quando há manifestação artística com intuito de atrair a atenção do eleitorado em potencial. A ação é proibida no Brasil.

Na postagem em que divulga a live, a equipe que cuida das redes sociais do compositor admite que “Caetano se apresentará”. Para completar o teor artístico do anunciado evento on-line, ele aparece com violão no colo, ao lado da sorridente comunista Manuela e do também sorridente socialista Boulos. Antes mesmo de se colocar como censurado, o compositor avisou que recorrerá da decisão.

Revista Oeste

COMPARTILHE A NOTÍCIA EM SUAS REDES SOCIAIS

Ao invés de rezar Bispo de Aparecida faz política no altar e diz: ‘Deveríamos salvar muito a Lava Jato’

STF faz o Rio sangrar: Sargento revoltado solta o verbo e conta a verdade